quinta-feira, 27 de junho de 2013

A minha posição sobre ...a crise (duma vez por todas)

Desde que eu existo que oiço falar em crise. Não me lembro de ano nenhum em que não estivessemos em crise.Aliás...na parede atrás da minha secretária no emprego tenho um quadro com o original de um Jornal de 1932 cujo título é nem mais nem menos do que ..."Crise". Enfim...
Eu tenho cá para mim que a maioria das pessoas não sabe bem o que é crise a sério. Crise é querer comer e não ter. É ganhar salário mínimo ou nem sequer ganhar nenhum. Crise é ter uma doença grave. Crise é não ter valores. Não ter educação. Crise é ser egoísta, é ter sede de poder, de grandezas materiais sem outras que as complementem e tornem menos fúteis. Crise é abrir a boca sem reflectir.
 
Existem 14 mil vagas no IEFP por preencher. Porque será ?
 
Existem pessoas que recusam-se terminantemente a tentar outra área de trabalho que não seja aquela para a qual estudaram. Porque será ?
 
Existe quem se recuse a ganhar menos de 1000€. Fantástico! (Todas as crises do mundo fossem assim). Eu sou Licenciada e não ganho isso.
 
Existe gente que consegue recusar 5 ofertas de emprego de seguida.
 
Há miúdos com menos de 16 anos a comprar telemóveis de valor superior a um ordenado.
 
ACHAM ISTO NORMAL ????
 
Pois. Eu sei. Existe o outro lado. Existe que eu conheço-o. Muito bem devo dizer (vim duma família pobre e o meu primeiro emprego foi na Segurança Social...a ver muitaaaa desgraça. Muita mesmo e a sério).
 
Existem pessoas com muitas dificuldades, sim. Mas creiam...essas pessoas (infelizmente) estão tão habituadas a ter que contar os tostões e a fazer sacrificios que são mesmo os que menos se queixam.
 
Todos os exemplos que dei acima referem-se a casos que conheço pessoalmente.
 
Já por diversas vezes ofereci ajuda (até online) a quem está desempregado para tentar  que a pessoa arranjasse emprego. Estranhamente quem supostamente precisa e se queixa tanto...não costuma aceitar essa ajuda.
 
Sabem que mais ? Trabalhar cansa.
 
Peço desculpa pelo enorme desabafo, mas eu não tenho paciência para tanta lamentação principalmente de pessoas que eu sei que ganham mais do que eu e nunca dormiram no chão por necessidade (sim...já dormi).
 
A vida é feita de lutas. Ninguém disse que era fácil. É normal por vezes perdermos a força. É normal uma vez por outra queixarmo-nos. Mas...usar a desculpa da crise para tudo...NÃO.
 
BOA SORTE A TODO(AS) E FORÇA PARA OS QUE PRECISAM EFECTIVAMENTE. Com esses sou absolutamente solidária.
 
 
 

6 comentários:

Monica www.organizaracasa.com disse...

Eu neste momento estou desempregada, e estou na luta.
Há muita gente que não quer fazer nada. Dizem que se ganha mais no desemprego do que a trabalhar.
Enfim...

Mc Soph disse...

Concordo plenamente com tudo o que dizes! Também sou licenciada e nunca ganhei 1000 euros! Tive que trabalhar para estudar, já vivi sem cama, já tive que contar tostões... Quando uma pessoa precisa de trabalhar mesmo, não fica à espera de uma oportunidade na sua área, qualquer coisa serve! Beijinho

Quotidianos de seda disse...

Nem podia ser de outra forma né Mónica ? Logo tu que és um exemplo de uma pessoa dinâmica, batalhadora. Isso nota-se em ti (mesmo aqui online para quem não te conhece).
Dessas pessoas que tu dizes conheço várias. Enfim...
Beijinhos e boa sorte nessa tua luta

PS- Se quiseres escreve-me um mail para paula_tf24@hotmail.com a deixar um contacto que se aparecer alguma coisa...eu reencaminho-te.
________________________________

Mc Soph eu tenho o meu processo nos Recursos Humanos para decisão sobre a eventual progressão na carreira mas...a ganhar o mesmo. Sem comentários, né ? É a chamada "Drª da vassoura", ihihi.

Beijocas

Cristinix disse...

Pois é rapariga, crise? onde está ela? as pessoas estão é mal habituadas, também é o que penso. Além disso, as pessoas (falo de um modo geral) não querem trabalho, querem é um emprego; quanto menos fizerem melhor, mentalidades...
Beijinhos.

Sofia Morgado disse...

Concordo em género, número e grau! Cresci com um papel com a letra do meu pai, colado no interior da porta do roupeiro do corredor - onde também guardava as minhas roupas - e que dizia: As dificuldades são o preço do progresso. Datava de 1972.

Felizmente, sempre tive roupeiro, mas também sempre ouvi falar da crise. A crise, como a sorte ou tudo o resto na vida, costumo dizer que somos nós que a fazemos! ;)

Beijinhos,
Sofia

Quotidianos de seda disse...

Pois é meninas, temos mas é que ter força, garra, ser positivas e fazer o melhor que sabemos e podemos.Choraminguices não pagam as contas. Beijinhos e força.

Arquivo do blog